Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/27101

Title: Avaliação das (para as) Aprendizagens: Das Questões Teóricas às Práticas de Sala de Aula
Authors: Borralho, António
Cid, Marília
Fialho, Isabel
Editors: Ortigão, Isabel
Fernandes, Domingos
Pereira, Talita
Santos, Leonor
Keywords: Avaliação Formativa
Avaliação Sumativa
Feedback Pedagógico
Práticas Pedagógicas
Issue Date: 2019
Publisher: CRV
Citation: Borralho, A., Cid, M. & Fialho, I. (2019). Avaliação das (para as) Aprendizagens: Das Questões Teóricas às Práticas de Sala de Aula. In I. Ortigão, D. Fernandes, T. V. Pereira & L. Santos (Orgs), Avaliar para Aprender no Brasil e em Portugal (Série: Temas em Currículo, Docência e Avaliação) (pp. 219-240). Curitiba (Brasil): CRV. (ISBN: 978-85-444-3463-5). doi: 10.24824/978854443463.5
Abstract: A evolução da definição de conceitos associados à avaliação das aprendizagens é muito significativa, pois as perspetivas atuais pouco têm a ver com as perspetivas do passado. Do ponto de vista conceptual a avaliação é um processo que deverá estar integrado e articulado nos processos de ensino e aprendizagem. Além disso, deve-se conceptualizar a avaliação como construção social, embora a aprendizagem também seja um processo pessoal, subjetivo, interno do indivíduo, mas ocorre num contexto social, num contexto de relações pedagógicas e, portanto, mediado pela interação com o meio e com as pessoas que fazem parte dele, especialmente professores e alunos. Neste contexto, a avaliação formativa deve assumir predominância para regular o ensino e a aprendizagem, tendo em conta os contextos, a participação dos intervenientes (onde se inclui o feedback), a negociação e os processos cognitivos e sociais da sala de aula. Ao se enquadrar a avaliação e a aprendizagem deste ponto de vista, o ensino deverá atender, também, a estes pressupostos de modo a que exista uma forte articulação destes três processos. Baseado nestes eixos estruturantes, verifica-se que as práticas avaliativas nas salas de aulas ainda estão aquém de se consubstanciarem em elementos que contribuam para a melhoria das aprendizagens e do ensino./ The evolution of the definitions associated to assessment is very significant, since the current perspectives have little to do with the previous perspectives. From a conceptual point of view, assessment is a process that should be integrated and articulated to teaching and learning. In addition, assessment should be conceptualized as a social construction, although learning is also a personal, subjective, internal process of the individual, but occurs in a social context, in a context of pedagogical relationships and, therefore, mediated by interaction with the environment and with the people involved, especially teachers and students. In this context, formative assessment should be predominant in order to regulate teaching and learning, taking into account the contexts, the participants (where feedback is included), the negotiation and the classroom cognitive and social processes Looking ahead to assessment and learning from this perspective, teaching must also follow these assumptions so that there is a strong articulation between these three processes. Based on these structuring lines, it was found that classroom assessment practices are still far from being a means of contributing to learning and teaching improvement
URI: https://editoracrv.com.br/produtos/detalhes/34249-crv
http://hdl.handle.net/10174/27101
ISBN: 978-85-444-3463-5
Type: bookPart
Appears in Collections:CIEP - Publicações - Capítulos de Livros

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Capitulo-livro-Brasil_DF-IOrtigão_2019.pdf172.21 kBAdobe PDFView/Open
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois