Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/9915

Title: Cuidando da pessoa com ferida cirúrgica: reaproveitamento sanguíneo
Authors: Marques, Maria do Céu
Pereira, Ana Teresa
Mendes, Joâo
Correia, Isabel
Frade, Anjos
Fonseca, Ana
Keywords: pessoa com ferida cirurgica
intervenções
reaproveitamento sanguineo
Issue Date: Jan-2013
Publisher: Ordem dos Enfermeiros
Citation: Marques, Maria do Céu; et al (2013)Cuidando da pessoa com ferida cirúrgica: reaproveitamento sanguíneo. 1º Encontro de Enfermeiros Especialista Enfermagem Médico-cirúrgica. Ordem dos Enfermeiros
Abstract: Introdução/problemática: Na pessoa submetida a cirurgia ortopédica, as perdas de sangue no pós-operatório constituem um risco, sendo necessário recorrer a transfusões sanguíneas alogênicas e autólogas. Existem alternativas às transfusões de sanguíneas alogênicas a fim de evitar a exposição a doadores homólogos com os seus riscos infecciosos e imunológicos concomitantes. Nenhuma transfusão é isenta de risco, os erros de processamento e a contaminação bacteriana continuam a ser complicações potenciais mesmo em transfusões autólogas. Uma alternativa é a autotransfusão onde através de um sistema de drenagem fechado se recolhe e filtra o sangue que pode ser reinfundido por via endovenosa na Pessoa. Objetivo: refletir sobre a intervenção de enfermagem à Pessoa portadora de uma Ferida Cirúrgica decorrente de uma cirurgia ortopédica. Metodologia: pesquisa de índole descritiva, mais concretamente, um estudo de caso, onde a pergunta norteadora foi: “Quais são as intervenções que os enfermeiros desenvolvem para a realização do reaproveitamento sanguíneo à Pessoa submetida a Artroplastia Total do Joelho?” Resultados: No pós-operatório, a intervenção dos enfermeiros é fundamental para a prevenção de complicações. Neste período, a Pessoa submetida a Artroplastia total do joelho pode apresentar um elevado risco de instabilidade hemodinâmica, o que exige uma vigilância e monitorização constantes por parte dos enfermeiros, que desenvolvem ainda outras intervenções relacionadas com a ferida operatória e com os sistemas de drenagem a fim de se poder accionar o processo de autotransfusão. Os enfermeiros monitorizam a quantidade de sangue drenada e a que é reaproveitada, respeitando o espaço de tempo em que é possível reinfundir o sangue. Deste modo, assumem um papel fundamental no controlo da reação à transfusão de sangue e na prevenção do risco de infeção. No caso estudado verificou-se que a elaboração de um plano de cuidados de enfermagem adequado facilita o processo de tomada de decisão do enfermeiro. Conclusões/Recomendações: ficou evidenciado que o reaproveitamento sanguíneo no pós-operatório pode ser determinante na antecipação de focos de instabilidade e na prevenção e tratamento de complicações. A investigação assume uma função importante no avanço do conhecimento científico, pelo que percebendo as intervenções dos enfermeiros no reaproveitamento sanguíneo e dado que a literatura em torno desta temática se tem centrado na área médica, consideramos que os enfermeiros devem, cada vez mais, refletir, discutir e aprofundar as intervenções de enfermagem à Pessoa submetida a artroplastia total do joelho, visando a redução de complicações e a excelência dos cuidados, considerando o aspecto em estudo.
URI: http://hdl.handle.net/10174/9915
Type: article
Appears in Collections:ENF - Artigos em Livros de Actas/Proceedings

Files in This Item:

File Description SizeFormat
resumo -Cuidando da pessoa com ferida cirúrgica.pdf38.54 kBAdobe PDFView/Open
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois