Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/9459

Title: Comportamento do Sistema Radical de Algumas Espécies Forrageiras e Pratenses com Interesse para a Modernização dos Sistemas de Agricultura no Alentejo
Authors: Oliveira, Maria do Rosário Gamito de
Keywords: espécies forrageiras
sistema de cultura
pousio
alqueive
Issue Date: 1988
Publisher: Universidade de Évora
Abstract: "Sem resumo feito pelo autor" 1- INTRODUÇÃ0 1.1- A agricultura alentejana de sequeiro nos solos de capacidade de uso B/C, C, D e E tem sido caracterizada, sobretudo nos últimos quatro decénios, por um sistema de cultura <1> de que é parte essencial uma rotação-tipo trienal a hexanal, onde para além do trigo como cultura principal se incluem o alqueive, outro cereal correspondendo à cultura liquidadora e quase sempre o pousio, em número variável de anos. Esta rotação, bem inserida na tradição agrícola alentejana, apresenta normalmente uma configuração diferente consoante o tipo de solo em que é instalada. Em solos de textura fina, mais férteis e profundos - por exemplo, os Para-barros - o alqueive é revestido por uma cultura de Primavera, o grão-de-bico ou o girassol, a que se seguem um ano de trigo e um ano de cevada. Mas na maioria das áreas com solos delgado a (1) - Os sistemas de cultura "reflectem a maneira pela qual os agricultores podem manter ou aumentar a fertilidade dos seus campos, seja fazendo suceder as culturas, seja cedendo adubos, seja pelo contrário orientando a produção para produtos de fracas exportações”. Nomenclatura de HÉNIN (1972) adaptada por AZEVEDO et al. (1972) e PORTAS (1985). esqueléticos, de baixa capacidade produtiva, o alqueive é nú e à cultura do trigo seguem-se um ano de aveia e dois a três anos de pousio. Neste último quinquénio, o aparecimento do triticale a substituir nalguns casos os cereais secundários (aveia e cevada) na rotação, é justificado pela sua precocidade, importante em anos de Primavera seca, pela sua melhor adaptação a condições de excesso de água e de acidez no solo e por ter preço relativamente mais alto que aqueles. Esta rotação-tipo tem vindo a ser contestada pelo seu desequilíbrio quer no que diz respeito à marginalidade económica das produções, a agravar-se com a adesão de Portugal aos países da Comunidade Económica Europeia, quer quanto à componente sistema de cultura. As condições de fertilidade em que deixa o solo, sobretudo pelas mobilizações requeridas que aceleram a erosão, reduzem o horizonte antrópico, diminuem a matéria orgânica, deterioram a estrutura e aumentam a acidez, dando origem a condições que tendem a ser expressas internacionalmente pela designação "acid, ill-structured and shallow soils", os quais vão sendo abandonados nos países desenvolvidos. Com efeito, as principais justificações tradicionais para a inclusão do pousio e do alqueive na rotação - o controlo de infestantes, a redução da "fadiga", "cansaço" ou "esgotamento" da folha de cultura e um maior armazenamento das águas das chuvas, visando a criação de condições favoráveis à cultura do trigo (ALVES, 1961), não têm mostrado uma acção positiva em termos de rendimentos físicos unitários, enquanto que alargam as áreas de solos marginais para a cultura cerealífera. Assim, nos últimos três decénios começaram a surgir sistemas alternativos tendo como característica principal a substituição do alqueive ou do pousio por culturas ditas melhoradoras que, para além de aumentarem a produtividade da rotação, iriam beneficiar o estado do solo para as culturas subsequentes e por conseguinte reduzir as mobilizações necessárias à sua instalação. Entre aquelas culturas figuram as forrageiras e pratenses herbáceas temporárias cuja acção benéfica resultaria não só dos detritos vegetais que incorporam no solo, podendo contribuir para um ligeiro aumento da matéria orgânica ou pelo menos para a melhoria das características físicas do solo, como também do enriquecimento deste em azoto resultante da acção simbiótica entre a Rhizobium spp e as plantas leguminosas.
URI: http://hdl.handle.net/10174/9459
Type: doctoralThesis
Appears in Collections:BIB - Formação Avançada - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Maria do Rosário Gamito de oliveira - 53 867.pdf9.88 MBAdobe PDFView/OpenRestrict Access. You can Request a copy!
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois