Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/9389

Title: O acesso à água e o desenvolvimento em África
Authors: Branco, Manuel Couret
Henriques, Pedro Damião
Carvalho, Maria Leonor da Silva
Keywords: acesso à água
África
desenvolvimento
Issue Date: 2013
Publisher: Universidade de Évora / Comissão Executiva do 2.º Encontro Luso-Angolano em Economia, Sociologia, Ambiente e Desenvolvimento Rural / Universidade Metodista de Angola
Citation: Branco, Manuel C; Pedro D. S. Henriques; Maria L. S. Carvalho (2013).“O acesso à água e o desenvolvimento em África”, Economia, Sociologia, Ambiente e Desenvolvimento Rural - Actas do 2.º Encontro Luso-Angolano na Universidade Metodista de Angola, Luanda, 6 a 8 de Outubro 2011, pp: 187-209, ISBN: 978-989-8550-20-0
Abstract: Se se quiser melhorar o nível de vida das populações em África, a oferta de água é um dos serviços que deve ser fornecido nas próximas décadas. Tendo em conta o papel que a recolha e distribuição de água tem no desenvolvimento, o primeiro aspecto a ser tratado neste artigo diz respeito ao processo pelo qual a água tem vindo a ser transformada em mercadoria. Desta mercantilização da água resulta não só que o seu consumo pode ser desigualmente distribuído entre as pessoas mas também a possibilidade de alguns seres humanos se- rem excluídos do acesso à água. Como consequência deste facto, a Organização Mundial de Saúde acredita que mais do que mil milhões de pessoas são pri- vadas do acesso básico à água. Estima ainda que cerca de 2,3 mil milhões de pessoas sofrem de doenças relacionadas com a água, tanto no que respeita à sua escassez como à sua pobre qualidade. Este será o segundo aspecto a ser examinado como um bom exemplo de restrição ao desenvolvimento. Na verdade, o Relatório do Desenvolvimento Humano de 2006 a+rma que os custos directos e indirectos de manutenção do de cit corrente de provisão de água potável em países em vias de desenvolvimento representam nove vezes o custo de fornecer uma cobertura universal, sendo a perda global devida à falta de água e de saneamento de cerca de 5% do PIB. Refere também que cada unidade monetária gasta em investimentos em água e saneamento gera 8 unidades monetárias em poupança de custos e ganhos de produtividade. Mais ainda, se se considerarem as oportunidades perdidas pelas mulheres e os dias de escola perdidos pelas crianças com o tempo gasto na recolha de água, a insu ciente cobertura de água também contribui decisivamente para a pobreza na idade adulta. Pode dizer-se que esta é a consequência do subdesenvolvimento, mas segundo Pedro Arrojo, um estudioso em temas respeitando a ética no uso da água, fornecer água às pessoas para as suas necessidades básicas está ao alcance da economia de qualquer país. Uma abordagem para reduzir os efeitos nocivos sobre o desenvolvimento da desigual recolha e distribuição da água consiste na desmercantilização da água. Com este artigo pretende-se analisar o papel da recolha e da distribuição de água no desenvolvimento, nomeadamente na melhoria das condições de vida das populações Africanas.
URI: http://hdl.handle.net/10174/9389
ISBN: 978-989-8550-20-0
Type: article
Appears in Collections:CEFAGE - Artigos em Livros de Actas/Proceedings
ICAAM - Artigos em Livros de Actas/Proceedings
ECN - Artigos em Livros de Actas/Proceedings

Files in This Item:

File Description SizeFormat
agua ELA.pdf291.61 kBAdobe PDFView/Open
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois