Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/6190

Title: Qualidade Higio-sanitária e Química do leite e queijo da cabra Serpentina
Authors: Potes, M.E.
Pinheiro, Cristina Maria
Babo, Helena
Cavaco, Nelson
Cachatra, António
Fialho, João
Keywords: leite de cabra
queijo de cabra
higiene
Issue Date: 2005
Citation: Potes, M.E.; Pinheiro, C.M.; Babo, H; Cavaco, N.; Cachatra, A.; Fialho, J. - 2005 - Qualidade Higio-sanitária e química do leite e queijo da cabra Serpentina. 3º congresso da SPCV. Livro de Resumos pág 55
Abstract: Actualmente, cresce o número de consumidores preocupado com a segurança alimentar, exigindo, como é seu direito, alimentos inócuos e salubres. Muito valorizados pelos apreciadores, os produtos tradicionais integram o património cultural das regiões que os produzem. Fabricados por processos artesanais, a sua qualidade pode ser comprometida, quer pela enorme variabilidade encontrada no produto, quer por deficiências higio-sanitárias ocorridas durante o fabrico. No entanto, qualquer tentativa de intervenção neste âmbito não deve comprometer as suas características próprias. Inseridos no estudo do queijo fabricado com leite de cabra Serpentina caracterizaram-se o leite destinado ao fabrico deste produto e o queijo fresco, produto bastante apreciado pelas suas características organolépticas, mas frequentemente repudiado pelos consumidores receosos dos derivados de leite de cabra. Seguiu-se o processo de fabrico do queijo em duas queijarias e avaliaram-se as composições química e microbiológica do leite e do queijo fresco, durante os períodos de Primavera e de Inverno, realizando, em cada período, três amostragens quinzenais. No leite crú (LC) e no leite tratado termicamente (LTT) dosearam-se sólidos totais, gordura, proteína, caseína e pH e no queijo fresco (QF), resíduo seco, gordura, proteína, fracções azotadas e pH. Os parâmetros microbiológicos quantificados foram mesófilos viáveis totais (MVT) e coliformes (COLIF) e pesquisaram-se Salmonella sp., Staphylococcus coagulase positivo e Listeria monocytogenes, em LC, LTT e QF, excepto MVT nestes últimos. Considerando os dois períodos de fabrico e ambas as queijarias, o LC apresentou os seguintes valores médios: sólidos totais: 14,100,15g/100g; gordura: 4,810,14g/100g; proteína: 3,890,04g/100g; caseína: 2,550,14g/100g; pH: 6,480,049. A composição química do LTT não foi significativamente diferente da do LC. As populações médias no LC foram: MVT: 5,610,53logufc/ml; COLIF: 3,980,26logufc/ml. No LTT, estes parâmetros foram negativos. O QF apresentou teor de humidade: 61,910,42g/100g; gordura: 45,440,44g/100gMS, humidade isenta de gordura: 74,940,47g/100g, proteína: 40,770,29g/100gMS e pH: 6,550,02. Os valores de COLIF foram 6,610,64logufc/g. Em nenhum produto foram detectados Salmonella sp., Staphylococcus coagulase positivo ou Listeria monocytogenes. De acordo com a legislação em vigor, os valores encontrados no leite indicam que se trata de uma matéria-prima de boa qualidade microbiológica, apta a ser transformada em queijo. Os valores de COLIF no QF são elevados, podendo indicar a existência de algumas deficiências durante o fabrico. Contudo, estes valores podem ser reduzidos com a aplicação de regras estritas de higiene, garantindo a qualidade e assegurando a genuinidade deste produto artesanal.
URI: http://hdl.handle.net/10174/6190
Type: lecture
Appears in Collections:ICAAM - Comunicações - Em Congressos Científicos Nacionais

Files in This Item:

File Description SizeFormat
QUALIDADE HSQ LEITE E QUEIJO CABRA SERPENTINA.pdf3.1 MBAdobe PDFView/Open
Qualidade higio-sanitária e química do leite e queijo da cabra serpentina ap.pdf672.17 kBAdobe PDFView/Open
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois