Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/25434

Title: O ensino e a investigação nas ciências económicas e sociais agrárias em Portugal: notas sobre uma evolução
Authors: Mansinho, Maria Inês
Fontes, Magda Aguiar
Henriques, Pedro Damião
Editors: Mansinho, Maria Inês de Abrunhosa
Barreira, Madalena
Fontes, Magda
Henriques, Pedro Damião de Sousa
Keywords: Ensino
Investigação
Empresa agrícola
Gestão agrária
Economia agrária
Issue Date: 2018
Publisher: ICS Imprensa de Ciências Sociais,
Citation: Mansinho et al, As ciências económicas e sociais no quadro da regionalização universitária, Texto Monográfico II, p.113-161, em A Empresa Agrícola: Das folhas do Feitor à Gestão Ambiental/coord. Maria Inês Abrunhosa Mansinho.-Lisboa: ICS.Imprensa de Ciências Sociais, 2018 ISBN 978-972-671-497-2 CDU 338
Abstract: Para analisar a evolução da empresa agrícola no quadro do ensino e da investigação ao longo do século XX em Portugal, começamos por apreciar, brevemente, a evolução mais geral do ensino agrícola com destaque para o que se ocupa das questões económicas e sociais agrárias. Concentramo- nos no ensino superior com algumas incursões alusivas a outros graus de ensino. Ocupamo-nos também da evolução da investigação económica e social agrária, a qual decorre, em larga medida, do ensino, dele se autonomizando progressivamente. Não temos a preocupação de ser exaustivos, mas de dar através destas notas uma ideia impressiva do caminho percorrido.1 Presente está o desenvolvimento da agricultura portuguesa que acabámos de evocar em torno de períodos com alguma homogeneidade (ver o capítulo 1). Deste modo, este capítulo está também, no essencial, cronologicamente organizado. Consideramos dois períodos: o anterior e o posterior a 1950. No primeiro (secção 2.1) começamos pela Monarquia, desde logo por meados do século XVIII em plena reforma pombalina (2.1.1), até ao fim da Monarquia Constitucional; seguese- lhe o período da I República e a implantação e consolidação do Regime Corporativo (2.1.2 e 2.1.3, respectivamente). No segundo período, a partir de 1950 (secção 2.2), consideramos as fases da transformação do regime corporativo, o seu declínio, a instauração da democracia e a integração europeia. Nesta segunda parte o registo cronológico é mesclado por uma inventariação temática, em que se começa por tratar, em primeiro lugar, do ensino e, depois, da investigação. No caso do ensino este é analisado, tendo em conta uma realidade institucional que, partindo do Instituto Superior de Agronomia (2.2.1), muda bastante com a regionalização universitária (2.2.2). No caso da investigação económica e social agrária (2.2.3), esta é analisada sucessivamente no âmbito do Centro da Estudos de Economia Agrária da Fundação Calouste Gulbenkian, dos serviços oficiais de agricultura e de outras entidades.
URI: http://hdl.handle.net/10174/25434
ISBN: 978-972-671-497-2
Type: bookPart
Appears in Collections:CEFAGE - Publicações - Capítulos de Livros

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Cap 2 A Empresa Agricola das folhas do feitor à gestão ambiental.pdf452.1 kBAdobe PDFView/OpenRestrict Access. You can Request a copy!
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois