Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/24832

Title: Os vetores potenciais de Xylella fastidiosa no olival alentejano e o papel da artropodofauna auxiliar na sua limitação natural
Authors: Neto, Ana Carina
Gomes, Luís
Rebelo, Maria Teresa
Rei, Fernando Trindade
Issue Date: Jun-2018
Publisher: 8º Simpósio Nacional de Olivicultura Santarém
Citation: Neto, AC, Gomes, L, Rebelo, MT, & Rei, FT (2018). Os vetores potenciais de Xylella fastidiosa no olival alentejano e o papel da artropodofauna auxiliar na sua limitação natural. 8º Simpósio Nacional de Olivicultura Santarém, 7, 8 e 9 de junho de 2018, 24.
Abstract: A recente emergência da bactéria Xylella fastidiosa Wells et al. 1987 associada ao Declínio Súbito do Olival em Itália, constitui uma grave ameaça à olivicultura. A existência de vetores capazes da sua transmissão, amplifica a dispersão da bactéria no olival, sendo o conhecimento e monitorização desses vetores vital para o desenvolvimento de estratégias para a contenção da doença. Desse modo, procedeu-se ao levantamento e identificação dos potenciais vetores da bactéria em olivais alentejanos, assim como de artrópodes auxiliares que possam contribuir para o seu controlo biológico. Selecionaram-se 126 locais, sem tratamentos químicos, na região do Alentejo, previamente dividida em 18 quadrículas de 30x30km, onde se recolheram artrópodes entre 25 de outubro e 15 de novembro de 2016. Em cada local aspirou-se a copa de cinco oliveiras (10s cada) e a vegetação espontânea (50s) circundante, quando presente. Foram identificadas duas espécies de potenciais vetores, Philaenus sp. (5 indivíduos) e Neophilaenus campestris (Fállen, 1805) (20 indivíduos) nos dois tipos de hospedeiros vegetais, embora em maior abundância nas espontâneas. Globalmente, observou-se a mesma tendência para as vespas parasitóides (1388 indivíduos), sendo as superfamílias Chalcidoidea, Ichneumonoidea e Cynipoidea as mais representadas. Em média, as aranhas estiveram igualmente presentes em ambos os tipos de hospedeiros, mas as formigas foram cerca de 4 vezes mais abundantes na vegetação espontânea, sendo estes os dois grupos de predadores mais representados. A associação de Philaenus sp. e N. campestris à copa da oliveira, sob condições climáticas muito adversas, como as do Verão de 2016, confirma a existência de vetores capazes de transmitir e disseminar a X. fastidiosa no Alentejo, caso esteja presente, realçando a importância de ações dirigidas à sua prevenção e deteção precoce. A presença de potenciais parasitóides e predadores sustenta a possibilidade dos potenciais vetores poderem ser alvo de limitação natural.A associação de Philaenus sp. e N. campestris à copa da oliveira, sob condições climáticas muito adversas, como as do Verão de 2016, confirma a existência de vetores capazes de transmitir e disseminar a X. fastidiosa no Alentejo, caso esteja presente, realçando a importância de ações dirigidas à sua prevenção e deteção precoce. A presença de potenciais parasitóides e predadores sustenta a possibilidade dos potenciais vetores poderem ser alvo de limitação natural.
URI: http://hdl.handle.net/10174/24832
Type: lecture
Appears in Collections:ICAAM - Comunicações - Em Congressos Científicos Nacionais

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Vectores Xylella - VIII Simpósio Nacional de Olivicultura junho 2018.pdf678.71 kBAdobe PDFView/Open
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois