Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/24293

Title: Suplementação em cálcio: uma ajuda promissora na prevenção da gafa da azeitona
Authors: Caeiro, Luis
Materatski, Patrick
Vestia, Joana
Rato, Ana Elisa
Carvalho, Teresa
Varanda, Carla
Campos, Doroteia
Rei, Fernando
Félix, Maria Rosário
Keywords: Colletotrichum spp.
antracnose da oliveira
adubação foliar
Galega vulgar
Issue Date: Jun-2018
Publisher: VIII Simpósio Nacional de Olivicultura
Citation: Caeiro et al., 2018
Abstract: A antracnose ou gafa da azeitona, é uma das doenças mais importantes que afeta o olival. Esta doença surge pela ação de fungos do género Colletotrichum, que podem levar à completa degradação do fruto tornando-o impróprio para a produção de azeite. Esta doença é mais grave em cultivares suscetíveis como é o caso da Galega vulgar. Sabe-se que os frutos de Galega vulgar têm na sua constituição um tecido epidérmico mais fino do que o de outras cultivares menos suscetíveis à antracnose. O objetivo deste trabalho foi testar o possível efeito protetor da suplementação em cálcio foliar contra a antracnose da azeitona, na cultivar Galega. Para esse efeito procedeu-se à aplicação de um produto comercial que doseia 34% de cálcio, que foi aplicado num olival tradicional, num ensaio com 3 modalidades (D0, D1 e D2): D0 em que não houve aplicação do produto; D1 em que se aplicou a dose de 2kg/ha; e D2 em que se aplicou 4kg/ha. Estas aplicações foram realizadas 4 vezes, de agosto a outubro. A amostragem de frutosfoi repetida várias vezes, durante toda a época de colheita. Os frutos amostrados foram desinfetados superficialmente, inoculados em câmara húmida com uma suspensão de Colletotrichum nymphaea e posteriormente foram avaliados os níveis de infeção. Nas diferentes amostras foi ainda quantificado o teor de cálcio nas paredes celulares por espectrofotometria de absorção atómica, após digestão ácida das amostras. Verificou-se que, 15 dias após a inoculação a percentagem de frutos infetados na modalidade D0 foi de 90%, na D1 foi de 75% e na D2 foi de 20%. Observou-se ainda que a aplicação de cálcio foliar levou a um aumento deste catião na fração das paredes celulares dos frutos, o que poderá ter contribuído para os menores níveis de infeção por Colletotrichum nymphaea observados.
URI: http://hdl.handle.net/10174/24293
Type: lecture
Appears in Collections:ICAAM - Comunicações - Em Congressos Científicos Nacionais

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Caeiro et al., 2018 (Abstarct).pdf748.68 kBAdobe PDFView/Open
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois