Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/13319

Title: Zona de caça turísticas: uma alternativa de desenvolvimento rural para a margem esquerda do Guadiana
Authors: Conceição, Luís Filipe Safara Rodrigues
Advisors: Branco, Manuel Couret Pereira
Keywords: Caça turística
Rio Guadiana
Alentejo (Portugal)
Issue Date: 1998
Publisher: Universidade de Évora
Abstract: Introdução - O Alentejo, a maior das regiões nacionais, adaptou durante muitos anos toda a sua estrutura agrária, às culturas arvenses de sequeiro e em grandes extensões (cereais), com fraca diversificação agrícola. Com a entrada na União Europeia, notou-se a nossa incapacidade para competir com os nossos parceiros comunitários, em termos de nível e custo de produção, o que originou o aparecimento de um novo problema, o da concorrência com redução de preços. Este facto, poderá provocar graves problemas para os agricultores portugueses pois, "a longo prazo a harmonização dos preços dos cereais portugueses com os da CEE, deverá conduzir a uma queda muito importante do rendimento dos agricultores de Alentejo. A baixa de rendimento é actualmente já elevada." (Fragoso, 1993). É necessário então encontrar alternativas à actual produção, de modo a competir com sucesso, com os nossos principais parceiros europeus, o que exige uma profunda restruturação das empresas agrícolas. No entanto, a idade avançada dos empresários, a sua fraca escolaridade e a sua aversão a mudanças de fundo, têm-se mostrado um severo entrave a esta restruturação. Por outro lado, a crescente desertificação humana do Alentejo, motivada pela regressão das principais actividades que sustentaram a sua economia, também não proporciona uma envolvente favorável à inovação. As políticas que a União Europeia propõe para resolver estes problemas do mundo rural, apontam essencialmente para a diversificação e complementariedade das actividades agrícolas, para a extensificação com o intuito de protecção ambiental, e para actividades de lazer. Todos estas directivas têm como objectivo diversificar as fontes de rendimento e de risco e aumentar o nível do emprego. Uma das actividades mais vezes referenciadas, como parte de uma estratégia de diversificação das actividades é a caça que é, hoje em dia, uma actividade envolvendo um número elevado de pessoas e uma elevada percentagem da superficie, de inúmeras explorações agrícolas, nomeadamente as de grande dimensão. Sendo explorada de modo lucrativo poderá trazer para determinados locais, um rendimento para as explorações agrícolas, principalmente complementando-as, mas não perdendo de vista a actividade agrícola em si, fundamental para a sobrevivência de largos espaços agrícolas Alentejanos. Dar importância a esta actividade e complementá-la com o turismo, poderá funcionar como um tónico para as populações rurais, pois poderá produzir empregos directos e indirectos, que devidamente remunerados, obstem à saída de população, com consequente desertificação das zonas interiores do Alentejo, além de poder permitir um aumento de rendimento, para os empresários agrícolas que optem por esta actividade. A revitalização das zonas rurais, mediante a integração de actividades agrícolas e não agrícolas, proporcionando melhores condições sócio-económicas para a retenção da população na região e, evitar deste modo a desertificação dessas zonas, continua a ser um objectivo primordial de desenvolvimento, promovendo a integração de diferentes actividades e rendimentos nas explorações agrícolas. O objectivo principal deste trabalho, é estudar que capacidade possue uma nova actividade agrícola, como é o turismo cinegético, no sentido de complementar as actividades agrícolas já desenvolvidas, através da diversificação das culturas e das fontes de rendimentos (uso múltiplo) ou por outro lado, de funcionar como alternativa a solos mais pobres e que não tenham qualquer actividade, tudo isto no sentido de inverter ou atenuar a tendência de desertificação humana e baixa de rendimento que se têm verificado na região da margem esquerda do Guadiana. A alteração na política de preços agrícolas e subsídios inerentes à reforma da PAC, que reduziu os incentivos às culturas tradicionais de cereais, incentivando por sua vez a florestação (essencialmente as espécies de crescimento lento), com o objectivo de abandonar em parte as culturas tradicionais realizadas no sequeiro Alentej ano, levará no curto/médio prazo a quebras de rendimento dos agricultores do Alentejo e particularmente da Zona Florestal da Margem Esquerda do Guadiana. O problema poderá ser atenuado ou invertido através da introdução de novas tecnologias agro-pecuárias, como a exploração cinegética de modo ordenado e lucrativo, associada ao turismo, que é estudada neste trabalho de investigação através da definição de 6 objectivos, de acordo com a perspectiva Europeia, relacionada com a caça, turismo, ambiente e emprego.
URI: http://hdl.handle.net/10174/13319
Type: masterThesis
Appears in Collections:BIB - Formação Avançada - Teses de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Luís Filipe Safara Rodrigues Conceição - Tese de Mestrado - 92 207.pdf9.97 MBAdobe PDFView/OpenRestrict Access. You can Request a copy!
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois