Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/11854

Title: O jornalismo em Portugal. Elementos para a arqueologia de uma profissão (1865-1925)
Authors: Miranda, Paula Cristina Galvão Mateus
Advisors: Nunes, Maria de Fátima
Keywords: O jornalismo em Portugal
Modus operandi
Jornalismo informativo
1865-1925
Issue Date: 2005
Publisher: Universidade de Évora
Abstract: "Sem resumo feito pelo autor" - Os itinerários propostos neste trabalho começaram a ser esboçados a partir dos resultados obtidos com a análise de um estudo que se afirmou como paradigmático na emergêmia da matriz jornalística. contemporânea em Portugal: o Diário de Notícias. A gramática da produção e da distribuição do referido jornal constituíram o mote para a dissertação de mestrado subordinada ao tema As Origens da Imprensa de Massas em Portugal.- o Diário de Notícias (1864-1889) apresentada e discutida publicamente na Universidade de Évora em 2002. O trajecto percorrido permitiu situar cronologicamente as origens do jornalismo de informação em Portugal e reforçara convicção de que a nova tipologia jornalística esteve na base da individualização e da afirmação do grupo de actores directamente envolvidos na produção do corpo redactorial dos periódicos - os jornalistas. As aquisições e os limites do processo de construção da identidade do grupo/profissionalização, num momento caracterizado pela inexistência de mecanismos de controlo formais, canalizaram a partir desse momento as atenções da investigação. Procurámos obter resposta para as seguintes questões: −qual o alcance das inovações introduzidas pelo jornalismo de informação em Portugal? - sob que enquadramentos institucionais foi feita a modernização do jornalismo em Portugal ou melhora passagem para uma fase de organização industrial? −de que modo as estruturas e as directrizes das empresas responsáveis pelos jornais de informação influenciaram a profissionalização dos jornalistas? −quais as estratégias adoptadas, a nível interno e externo, pelo grupo para adquirirem visibilidade? - qual a eficácia e quais os limites dos percursos traçados? Em termos cronológicos a observação foi balizada por dois acontecimentos internos ao objecto de estudo seleccionado, a fundação do Diàrio de Notícias (1864), cujo aparecimento potenciou a criação de espaços de autonomia para os redactores dos jornais e a instituição da carteira de identidade dos jornalistas (1924/1925) que surgiu como um marco inaugural no processo de construção/aprovação de instrumentos legais legitimadores da identidade dos jornalistas. A partir deste momento iniciou-se uma nova etapa, na história do jornalismo português, que não cabe no âmbito deste trabalho. As questões colocadas conduziram-nos, numa primeira fase, a uma incursão pela Sociologia das Profissões de modo a obtermos referentes sobre as teorias e sobre os modelos de investigação que nortearam o conjunto de trabalhos especificamente dedicados à profissão de jornalista. Concluímos esta primeira fase com as coordenadas que marcam a perspectiva sistémica, na qual esta abordagem se insere. Na senda dos trabalhos de Denis Ruellan defendemos que o conceito de profissionalização é susceptível de uma interpretação polissémica, condicionada pelas especificidades dos trajectos dos diferentes grupos, que se forjam na interacção existente entre os discursos de legitimação e o plano das práticas. Um percurso pelas diferentes propostas de trabalho teóricas e empíricas, produzidas no âmbito da sociologia, das ciências da comunicação e da história sobre a estruturação dos jornalistas, enquanto grupo profissional visível, completa a primeira parte deste trabalho. A parte H destina-se a fornecer indicadores sobre o processo de construção do grupo, ao longo do período analisado, através de uma combinação de dois instrumentos de observação distintos, por um lado o primeiro inquérito realizado pelo Instituto Internacional do Trabalho sobre as condições de trabalho e de vida dos jornalistas, que nos permite uma comparação entre as realidades existente em diferentes países, na data limite da nossa observação, por outro as disposições legislativas, produzidas em Portugal em matéria de imprensa, que nos facultam uma plataforma de observação das relações existentes como poder político e jurídico. O aparelho conceptual. utilizado pelos legisladores e os pré-requísitos existentes para a publicação de jornais constituíram o principal alvo da nossa observação. O recuo temporal, até ao início dos actos legislativos, em matéria de imprensa, resultou da necessidade de apreenderas evoluções registadas. A parte HI constitui um rebuscar das grandes linhas de investigação apresentadas publicamente em 2002 que permitem decifrar as coordenadas de orientação do jornalismo de informação e as novidades introduzidas nos sistemas de produção e de distribuição do panorama jornalístico português. Na parte IV propomos uma observação do espaço profissional dos jornalistas portugueses através da análise dos enquadramentos legais e orgânicos que suportaram a publicação doDiário de Notícias, do Século e do Primeiro de Janeiro. Defendemos que os quotidianos de trabalho são espaços privilegiados na concretização das estratégias profissionais que se desenrolam no confronto existente entre as formas de gestão das empresas e, neste caso específico, as formas de actuação dos redactores. À semelhança do percurso seguido por Maria de Lurdes Rodrigues procurámos apreender as dinâmicas existentes, nas três empresas jornalísticas, através sobretudo da sua estruturação e do seu modelo de administração, das suas necessidades em recursos humanos, das possibilidades de carreira oferecidas, das estratégias de recrutamento adoptadas e dos perfis de competências dos redactores. Optámos por centrara nossa observação em três empresas que apresentavam à partida características e trajectórias distintas de modo a verificarmos até que ponto os projectos do jornalismo informativo estiveram na origem da criação de espaços de autonomia potenciadores da afirmação da identidade dos jornalistas. A selecção de dois jornais lisboetas e de um jornal portuense possibilitou-nos uma comparação entre as práticas, similitudes e divergências existentes nos dois maiores pólos urbanos do país.
URI: http://hdl.handle.net/10174/11854
Type: doctoralThesis
Appears in Collections:BIB - Formação Avançada - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Paula Cristina Galvâo Mateus Miranda -Volume II - 165 892.pdfVolume II10.48 MBAdobe PDFView/OpenRestrict Access. You can Request a copy!
Paula Cristina Galvâo Mateus Miranda -Volume I - 165 891.pdfVolume I41.35 MBAdobe PDFView/OpenRestrict Access. You can Request a copy!
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois