Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/10159

Title: Nanopartículas de dióxido de titânio ativam vias de desintoxicação celular citoplasmáticas de Saccharomyces cerevisiae UE-ME3
Authors: Capela-Pires, J
Keywords: MDA
CAT T
Issue Date: May-2013
Citation: Capela-Pires J, Ferreira R, Alves-Pereira I (2013) Nanopartículas de dióxido de titânio ativam vias de desintoxicação celular citoplasmáticas de Saccharomyces cerevisiae UE-ME3. Jornadas do Departamento de Química, Universidade de Évora, Évora, Portugal
Abstract: A origem geológica e a ocorrência ubíqua das nanopartículas (NPs) podem levar a supor uma boa adaptação filogenética dos seres vivos a este tipo de substâncias. Contudo, o desenvolvimento industrial, associado a novas e vastas aplicações dos nanomateriais, tem contribuido para elevar os seus níveis ambientais [1]. Por esse motivo, a preocupação com a pressão ambiental das nanopartículas em determinadas regiões do globo, bem como os seus efeitos na biosfera tem crescido nos últimos anos, uma vez que o tipo de interacção destes materiais, com dimensão entre 1 e 100 nm, com as biomoléculas é fortemente condicionado pela sua área superficial/ dimensão molecular [2]. Assim, o principal objetivo deste estudo foi compreender como diferentes níveis de nanopartículas de dióxido de titânio afetam o crescimento e a capacidade de resposta antioxidante de Saccharomyces cerevisiae UE-ME3, uma levedura vínica nativa do Alentejo, com elevada capacidade de resistência a condições de crescimento adversas. S. cerevisiae, em fase exponencial média foram inoculadas em meio sólido YEPD (2%) e deixadas crescer durante 72 h, a 28 ºC, na ausência e na presença de TiO2-NPs, na concentração de 0,5 a 5 μg.mL-1. Os resultados mostraram que a exposição de S. cerevisiae UE-ME3 a nanopartículas de dióxido de titânio, inibiu o crescimento celular, causando uma diminuição do peso seco e do teor lipídico. Por outro lado, o aumento significativo de danos celulares, via peroxidação lipídica e estimada pelo conteúdo intracelular de MDA, leva-nos a crer que esta tenha sido uma das principais causas de morte celular. O facto da exposição a TiO2-NPs causar uma diminuição da razão GSH/GSSG, e aumentar as atividades enzimáticas GR e G6PD sugere que as TiO2-NPs induziram stress oxidativo. O aumento dos níveis de atividade CAT T e GT em leveduras crescidas na presença de TiO2-NPs leva-nos a admitir um papel relevante destes enzimas na eliminação do peróxido de hidrogénio e de mercapturatos. O decréscimo das atividades CAT A e GPx apontam também para um abrandamento da β-oxidação lipídica que terá ocorrido maioritariamente no peroxissoma. Estas respostas provavelmente refletem uma ativação de vias de desintoxicação celular citoplasmáticas que determinaram a depleção de GSH com consequente transição redutor-oxidante do ambiente celular de leveduras crescidas na presença de TiO2-NPs.
URI: http://hdl.handle.net/10174/10159
Type: lecture
Appears in Collections:ICAAM - Comunicações - Em Congressos Científicos Nacionais
QUI - Comunicações - Em Congressos Científicos Nacionais

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Capela_Pires J JDQUI UE2013.pdf117.13 kBAdobe PDFView/Open
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois