Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/11497

Title: Sistemas de mobilização do solo na cultura do girassol
Authors: Silva, Pedro Manuel do Vale Oliveira e
Advisors: Carvalho, Mário de
Keywords: Sistemas de mobilização do solo
Cultura do girassol
Issue Date: 2002
Publisher: Universidade de Évora
Abstract: A necessidade de redução dos custos de produção da cultura do girassol obriga a alterações da tecnologia tradicionalmente utilizada, nomeadamente do sistema de mobilização do solo, que representa uma parte importante dos encargos totais. A este objectivo de natureza económica associa-se outro de carácter ambiental resultante da necessidade de impedir a degradação dos solos, para a qual contribuem os sistemas de mobilização convencionais. Para avaliar a viabilidade da redução da intensidade da mobilização do solo na cultura do girassol comparou-se experimentalmente, em condições de sequeiro mediterrâneo e em solos representativos das condições de produção na região do Alentejo, o sistema convencional baseado na lavoura com charrua de aivecas com a mobilização reduzida e a sementeira directa. 0 ensaio realizado incluiu também duas épocas de sementeira, a época habitual para a Região e a antecipação da sementeira para meados de Fevereiro. A análise incidiu sobre as relações solo-planta, que foram caracterizadas através de um conjunto de parâmetros relativos ao desenvolvimento da planta e às principais propriedades físicas, hidrológicas e químicas do solo, obtidos experimentalmente ao longo dos quatro anos (1993 – 1997) de ensaios. Conclui-se que é possível, actuando simultaneamente sobre a data de sementeira, substituir o sistema convencional de mobilização do solo por sistemas mais conservativos como a mobilização reduzida ou a sementeira directa, sem afectar significativamente a produção da cultura do girassol. No entanto, mesmo com a antecipação da sementeira, mantém-se elevado o risco de insucesso na sementeira directa. Neste sistema o principal factor limitante da produção é a densidade populacional, que se revelou fortemente dependente da ocorrência de precipitação após a sementeira. A influência da tecnologia de sementeira sobre o estabelecimento da cultura é outro aspecto importante que necessita de ser aperfeiçoado de modo a permitir, nos anos em que as condições climáticas são mais desfavoráveis, obter melhores resultados na sementeira directa. Relativamente às propriedades do solo conclui-se que é essencialmente o efeito sobre a resistência mecânica que diferencia os sistemas de mobilização, encontrando-se as condições mais favoráveis no sistema tradicional e as maiores limitações na sementeira directa.
URI: http://hdl.handle.net/10174/11497
Type: doctoralThesis
Appears in Collections:BIB - Formação Avançada - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Pedro Manuel do Vale Oliveira e Silva - 142 227.pdf9.52 MBAdobe PDFView/OpenRestrict Access. You can Request a copy!
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois