Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10174/11234

Title: Influência da idade e do tratamento com isoproturão no sistema citocromo P450 e nas actividades enzimáticas glutationo S-transferase e glutationo redutase do fígado, rins, testículos e timo de ratos machos Wistar
Authors: Ferreira, Rui Manuel Alves
Advisors: Morais, Júlio Manuel da Cruz
Keywords: Bioquímica do desenvolvimento animal
Biotransformação de xenobióticos
Ratos machos Wistar
Issue Date: 1999
Publisher: Universidade de Évora
Abstract: "Sem resumo feito pelo autor"; A bioquímica do desenvolvimento animal constitui uma área científica muito lata e complexa (Rothestein, 1986, Jazwinski, 1996, McClearn, 1997). Grande parte dos conceitos que vão ser abordados neste capítulo nem sempre estão explícitos na literatura o que torna necessário fazer-se uma breve sistematização. Os sistemas vivos distinguem-se dos sistemas inanimados pela forma como contrariam a segunda lei da termodinâmica que não prevê a existência de processos cíclicos na natureza (Blum, 1955, Calow, 1978) e preconiza uma tendência contínua e unidirecional da ordem para a desordem. A universalidade da tendência entrópica só é válida para sistemas isolados que não trocam matéria e ou energia através das fronteiras que os delimitam. No entanto, o universo, é em regra, considerado como um sistema aberto e os processos naturais como ciclos que envolvem um fluxo entre a ordem e a desordem, a composição e a decomposição (Calow, 1978). Apesar disso, algumas configurações mantêm a sua existência por consideráveis períodos de tempo, graças à sua estabilidade ou à sua repetibilidade. O aparecimento repetitivo de uma unidade individual pode acontecer devido a substituição fortuita, quando a mesma configuração reaparece com elevada frequência, por possuir probabilidade elevada de formação, ou devido a replicação, quando providencia uma cópia de si própria conservando a sua organização complexa, mesmo que a entidade original seja posteriormente destruída. Uma vez que a replicação permite a formação de um número elevado de cópias, uma unidade com essa capacidade pode tornar-se vulgar mesmo quando a sua probabilidade de formação é baixa. Este tipo de ocorrência manifesta-se na formação de cristais e na reprodução dos organismos vivos (Calow, 1978, Jazwinski, 1996). Um sistema só pode perpetuar-se por replicação directa se for estável e inerte. Caso contrário, a replicação obedece forçosamente a um plano, como acontece com os organismos vivos que se replicam de acordo com as regras codificantes do seu material hereditário (Caihrms-Smith, 1971, Rothestein, 1986, Lewin, 1994, Jazwinski, 1996). A evolução dos seres vivos enquanto sistemas individualizados apresenta três aspectos importantes, como sejam: o aumento progressivo de tamanho, a diferenciação celular e o desenvolvimento de sistemas de comunicação entre os seus componentes (Zeuthen, 1947, Calow, 1978, Chauvet, 1986). Os ciclos da vida, para além de oscilarem entre duas fases distintas de formação e decomposição, exigem um terceiro passo fundamental que é o da replicação. O diagrama da figura 1.1 representa os principais eventos do ciclo de vida animal (Calow, 1978, Hosokawa et al., 1997).
URI: http://hdl.handle.net/10174/11234
Type: doctoralThesis
Appears in Collections:BIB - Formação Avançada - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Rui Manuel Alves Ferreia - 169 047.pdf13.93 MBAdobe PDFView/OpenRestrict Access. You can Request a copy!
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Dspace Dspace
DSpace Software, version 1.6.2 Copyright © 2002-2008 MIT and Hewlett-Packard - Feedback
UEvora B-On Curriculum DeGois